31/01/2013

Quanto vale o ingresso?


Por Aline Diedrich

http://weheartit.com/entry/47025487/via/IrisH3lenaEngolir sapos, gritos repreendidos, choros abafados e risos impedidos. Quantos? Uma coleção de coisas para nunca fazer. Mensagens apagadas e cartas que não respondeu. Quantas? Quilos para perder, quilômetros jamais rodados, gasolina, sapato e bolsa. Quantas notas fiscais? Vício, perplexidade, guerra e estupidez gratuita. Quanto custa?

Quantos nãos? Quantos pontos finais para tão pouca exclamação?

Pagar para ter. Pagar para ver. Pagar para ser. Preço justo, injusto e ajustado. O que é que tem valor?

Folhas num trevo da sorte, palavra bizarras no dicionário, caracteres para expressar uma só sensação e poesias que não fizeram sentido, mas foram intensamente sentidas. Delírios, sonhos, fantasiais e fetiches. Passos para frente e coragem de olhar para trás. Quantas vezes? Quanto atrevimento, derrubar dos muros, romper de barreiras, erguer de bandeiras e o esculpir da alma? Metas de filmes, de livros, de páginas para ser rasgadas, riscadas ou manchadas por livre inspiração assim como muros pichados por arte, beijos roubados e sorrisos distribuídos de graça por pura pirraça. Os gibis e os quadrinhos da barra de chocolate. Quantas? Quantos? O fôlego, a sagacidade, a idade da mente e do coração. Quantos anos? O tom, o ritmo, o som, o compasso e toda a dança. Quantos minutos de música na expectativa do refrão? E sobre os banhos de chuva, desenhos de nuvens, encantos da lua e dourar dos raios de sol... Sobre os abraços e vontade de ter o mundo em seus braços... Quantas vezes como fosse a primeira vez? Quantas vezes pulsar?

Quanto mais, melhor? Quanto falta? Quanta falta faz? Até quando?
Até quando a vida vai ser abreviada, breve, resumida em contabilizar os fatos?
Até quando vamos apenas pedir a conta?

Tempo. Tempo não perdoa. Tempo cura. Tempo ao tempo. Quanto tempo tem?

34 comentários:

  1. Passei por uma situação que seu texto descreveu perfeitamente... E ainda preciso ser curado disso, e nem sei se o tempo sozinho que vai fazer!

    As feridas só podem ser cicatrizadas se não mexermos nelas... Amei o texto, Aline! Como sempre...

    ResponderExcluir
  2. O tempo é herói e bandido, depende do momento, depende do eu aqui dentro, o que ele quer, "quanto", quando..
    Mas enfim, muito bom o texto, gostei muito do blog, estou tirando as teias de aranha do meu, caso queira dar uma "passeada" por lá, aqui está:
    http://shayaneazevedo.blogspot.com.br/
    Pensamentos soltos.
    To seguindo o teu, até mais ver..

    ResponderExcluir
  3. Nem sempre o tempo cura, às vezes só nos ensina como lidar..

    Adorei o texto!

    Bjks!

    http://un-necessary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Não podemos deixar que a vida se torne apenas metas frias também...as vezes fazemos planos,mas esquecemos das pequenas atitudes que nos surpreende,e nos faz dar risada quando a tristeza reina!!!são tantas minúsculas vidas dentro de uma só...tantos eus em um...

    ResponderExcluir
  5. Nem sempre o tempo é nosso amigo e aliado

    bjsss ótimo blog

    ResponderExcluir
  6. Belo poema, escrito por uma poeta que sabe usar talentosamente a sua pena autoral!!!Parabéns.

    ResponderExcluir
  7. Belo texto. o Tempo cura tudo, ou se não cura, faz agente aprender a lidar.
    Gosto demais do seu texto e do seu blog

    ResponderExcluir
  8. Belas palavras. o tempo é realmente a chave de muitas coisas. Pode ser cura ou um mal em alguns casos.

    Beijos!!
    http://dama-louca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Hey Aline, você poderia falar um pouco sobre o título? =)

    ResponderExcluir
  10. Sim Vinícius! Quanto vale o ingresso no contexto da crônica é como falar ou perguntar o quanto nossa vida tem valor. Assim precisamos aproveitar todo tempo que temos para fazer algo muito bom deste espetáculo que se torna mais bonito com as pequenas coisas, como os banhos de chuva, as músicas, os filmes, os fetiches... Este grande espetáculo que é a vida! =D

    ResponderExcluir
  11. *--* Nossa, MARAVILHOSA a explicação, thnkz

    ResponderExcluir
  12. texto muito interessante *_* http://bloggdoanonino.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  13. Aline, o Senhor Tempo é que diz quanto vale o ingresso, no final das contas. Parabéns pela sua crônica. Abraços.

    http://lua-lobo-candeia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. como diz uma música ai..."nada como um da após dia, uma noite, um mês..."

    http://minhalocadoradeideias.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Olá!Boa noite!
    Aline
    Tudo bem?
    ...para comprar esse ingresso , muitos andam no limite e sequer podem compreender o desgaste a que estão se submetendo em nome de tão pouco, quase nada além do supérfluo.Não há necessidade de ter tudo, é preciso ter o suficiente para ser feliz . Quando SOMOS, ficamos muito mais Felizes do que quando Temos.O relógio girando. O tempo passa tão rápido , que quando nos damos conta, esquecemos do mais importante que é viver...esse é o valor...
    Meu carinho!
    Boa quarfta feira!
    Beijos

    ResponderExcluir
  16. Belo texto, temos que ter mais atitude sobre as coisas que realmente importam!

    ResponderExcluir
  17. As vezes a ferida demora mesmo a cicatrizar,
    amei o texto.
    beijos

    ResponderExcluir
  18. "O tempo não cura", é a pura verdade. Gostei do texto!
    http://sweetsolution.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  19. O caro e o barato vai depender do valor que as coisas têm... e o preço e o valor não são a mesma coisa!!! Não mesmo!

    ResponderExcluir
  20. E ainda tem o lance que depois que algumas coisas passam, elas perdem o valor, mas continuam "caras"...

    ResponderExcluir
  21. Que texto latamente poético.Parabens.

    ResponderExcluir
  22. Que o tempo faça o seu trabalho então! :)
    Ótimo texto, Aline.
    Beijão

    ResponderExcluir
  23. Até quando? Quanto tempo ainda? São perguntas que ecoam em minha mente. Eu não sei quanto vale tudo isso. Só espero um dia valer a pena.

    Ótima crônica Aline!

    Beijo. =*

    ResponderExcluir
  24. ótimo texto Aline! Como sempre conteúdos expressivos e de boa qualidade! Bjsss até a próxima

    ResponderExcluir
  25. Adorei seu texto e seu blog!
    As vezes o tempo é nosso aliado, ou somente um auxílio para aprendermos a lidar com situações.
    http://vidradaemlivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  26. Temos pouco tempo pra tanta vida pra ser vivida.
    Oh, que agonia!

    Belo post, bela reflexão. ;)

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  27. Ficou muito lindo seu texto. Adoro seus textos e sempre visito.
    bjs

    http://rodrigobandasoficial.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  28. Apesar de ser uma das pessoas que usa o argumento do tempo, eu sei que não é bem assim. Tempo não cura ninguém, somos nós que curamos nós mesmos. Aprendemos a perdoar, a deixar pra lá, a ver a vida por outra lente, substituindo dores por alegrias ou apenas por sentimentos "ok".
    Texto perfeito! Amei.

    Beijos,
    Monique <3
    http://www.secretsofalittlegirl.com/

    ResponderExcluir
  29. Belo texto. Poético, realista, atual.Obrigado pela visita e comentário no Blog do Celsão!!!Abraços!!!

    ResponderExcluir
  30. Como eu tinha dito antes mulher é sempre melhor para se expressar que um homem ou até vários.

    ResponderExcluir
  31. Verdade ... Para refletir mesmo ...

    www.oinfocara.blogspot.com

    ResponderExcluir