11/09/2012

Preto céu

Por Aline Diedrich

Foi depois da meia-noite.

Salto quebrado. Vidro embaçado. Trovão. Raios. Chuva demais. Ventania. Vendaval. Chegava mesmo de poeira e o desejo insano de uma inquieta mente para que fosse arrastado o cheiro e uma recordação do passado que parecia masoquismo da alma. Poderia dar certo. Poderia dar neve. Esfriar um coração que experimentava e era experimentado feito rato de laboratório.

Lembrança de uma noite alucinante e de uma boca que jamais voltaria a ter, mas ainda queria reaproveitar se no dia seguinte o telefone tocasse e arrancasse um sorriso daquela expressão de ressaca, por mais que ele fosse uma espécie de príncipe desencantado. Mas e daí? Quem disse que o errado é errado? Não. É ponto de vista. Tão somente o ângulo da visão. Relativo como uma verdade que se esqueceu de acontecer ou as imagens que viu no fundo do copo de caipirinha.

Sem batom. Lápis borrado. Maquiagem desfeita e cabelo molhado. Cara pálida. Moleca. Ele, moleque ainda, apesar da idade. Moléculas. Melecas e chiclete sem gosto. Pisou no barro, no chão imundo, caiu no mundo com uma música desafinada e destinada. Cair. Cair. Todo buraco tem fundo. Todo fundo tem chão. Todo jeito cabia na melodia da canção.

E depois de ouvir, dançar e deixar-se levar, simplesmente correu fugitiva por acreditar no improviso, na falta da coreografia, no descompasso... Destino não vem escrito, é o direito de escolha entre todas as estradas criadas iguais aquelas tantas que saiam do trevo. E ali, sobre o banco do carro, o trevo de tantas folhas que não dava a sorte e nem espantava o azar. Azar! O importante era acreditar na completa euforia. E sentia. E sentia.

Enfim lar. Doce lar. Desfez-se do que ainda restava em frente o espelho, das histórias contadas, das cantadas e cortadas. Carboidrato, por favor. E depois que a bebedeira passar... Não passaria. Porque viria outra. Porque não era a bebida. Era vida e ela queria se embriagar de viver.

Um brinde às cores, aos amores e ao preto do céu.


39 comentários:

  1. Lindo texto...
    Vc escreve muito bem ^^

    Visita lá ;)
    http://celtasim-h.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. a única coisa que tenho pra dizer é teus textos são muito bons. e esse foi bem inspirado.

    ResponderExcluir
  3. Achei meio confuso, me perdi um pouco... Mas eu acho que é isso que acontece com a gente ás vezes, quando voltamos para casa depois de uma noite confusa.

    (ah, é não sei se é erro ou trocadilho, mas no segundo parágrafo está escrito 'É pontE de vista.")

    ResponderExcluir
  4. Aline!!!bela escrita,belo desejo,belo sufocante entender das doses que a vida nos proporciona!!!sua forma de se expressar é simplesmente desabafadora com toques de realismo e dizeres com seu proprio pensar!!!!!que bela euforia senti ao ler!!!!parabens!!!!vc arrebenta!!!abraço!!!

    ResponderExcluir
  5. Muito estilosa a sua escrita, cada vez mais.

    ResponderExcluir
  6. Que lindo esse texto, gosto de personagens intensos.
    Essa sim sabe viver.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá!Bom dia!
    Tudo bem?
    Aline!
    Muito bom o texto!Realista e intimista, sem se ater à detalhes desnecessários para nossa compreensão!
    Perante a incapacidade das realizações por completo, traz de volta o abatimento, sofre fechada em si mesma, angustiada e cansada, concretiza-se dilacerante entre o amor e a vida...
    Obrigado pelo carinho da participação em meu blog!
    Boa quarta feira
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Aline :)
    Como vai?
    Belo texto *-*
    A vida é assim: uma bebedeira de emoções,momentos...se a gente parar pra pensar,ficar sóbrio não tem graça não é mesmo? rsrsrs

    Beijos e cuide-se

    Rimas Do Preto

    ResponderExcluir
  9. Mais um excelente texto. É redundante dizer que você escreve bem, redundante!

    ResponderExcluir
  10. Um brinde a você. Gostei de ler. Abraço.

    ResponderExcluir
  11. Menina, o que é tudo isso? O que significa todo esse encantamento que surgiu em mim após ler essas palavras? Lindas, lindas! Chão molhado, chuva, pés sujos. O céu nem sempre precisa estar azul para o dia ser lindo. Estou te seguindo te listei nos favoritos. Voltarei, com toda a certeza. Um beijo!


    Ah, e me visite, se puder! :)Espero que goste do meu cantinho. http://railmamedeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Uma frase: "E se a felicidade nos deixa ébrios, me desculpe, meu bem... Apenas colocarei mais uma dose em sua caneca." Teu texto me fez relembrar essa frase, que foi destinada a mim em uma carta, me fez deixar a lucidez de lado. Obrigada por me fazer sentir tanta coisa novamente. :')


    ResponderExcluir
  13. Muito bom!
    Sigo e indico!
    Abraços

    http://bomdegol.blogspot.com.br/
    Roberto Feitosa

    ResponderExcluir
  14. Texto cheio de sensibilidade e harmonia. Parabéns!

    ResponderExcluir
  15. Gostei da temática do blog é bastante interessante e curioso.

    ResponderExcluir
  16. "Porque não era a bebida. Era vida e ela queria se embriagar de viver." Que belo final, hein, poético. Bjo

    ResponderExcluir
  17. Mais um belíssimo texto. Parabéns =D

    ResponderExcluir
  18. Oi, Aline,

    Texto muito bem escrito! Me agradou bastante a forma como você construiu as frases para, uma hora, dar movimento e, na outra, indicar ações pontuais. Fora a questão imagética, bastante forte: facilita para o leitor imaginar cada uma das cenas e entender o que se passa na cabeça da narradora.

    Se cada ressaca render um texto assim, desejo várias - e muitos corações partidos.

    Abraços,

    Miguel

    ResponderExcluir
  19. lEGAL!!
    http://wamatamusicas.blogspot.com.br/
    -
    https://www.facebook.com/wamatamusicas

    ResponderExcluir
  20. O importante é viver sempre, com toda intensidade

    http://lary-di-lua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  21. Menina, eu sou apaixonada por aliterações! Fiquei algum tempo repetindo "moleca, moleque, moléculas, melecas" como se fosse um trava língua.

    O texto me fez lembrar Oswaldo Montenegro, de "Nem todo Alceu é Valença" a "Incompatibilidade". Curti bastante ^_^

    ResponderExcluir
  22. não importa se e preto ou branco...temos que viver...colorindo nossas vidas...

    ResponderExcluir
  23. Oi aqui é a Carol do http://dear-innsanity.blogspot.com.br estou seguindo de volta. s2

    ResponderExcluir
  24. Olá , passei pela net encontrei o seu blog e o achei muito bom, li algumas coisas folhe-ei algumas postagens, gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, e espero que continue se esforçando para sempre fazer o seu melhor, quando encontro bons blogs sempre fico mais um pouco meu nome é: António Batalha. Como sou um homem de Deus deixo-lhe a minha bênção. E que haja muita felicidade e saude em sua vida e em toda a sua casa.
    PS. Se desejar seguir o meu humilde blog,Peregrino E Servo, fique á vontade, eu vou retribuir.

    ResponderExcluir
  25. À medida que leio cada linha dos seus posts, vou formando o meu comentário, mas o mais louco é que, quando termino de ler, me pego sem ter nada para comentar. É sempre tão intenso, tão poético e metafórico. Ah, Aline, você deveria colocar alguns dos seus posts em um livro. Eu compraria. :)

    Sacudindo Palavras

    ResponderExcluir
  26. Um texto realmente para refletir.
    Parabéns blog incrível!!!

    Beijos e ótimo dia!
    www.priscilafantini.blogspot.com.br
    estou de seguindo, se quiser me fazer uma visitinha ;)

    ResponderExcluir
  27. Aline gostei demais do texto.
    Me deixou com lágrimas. Interessante mesmo.

    ResponderExcluir
  28. Seu blog é muito bom parabéns
    http://snestalgia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  29. obelas palavras >< parabens

    http://tabernadoviking2.blogspot.com

    ResponderExcluir