03/09/2012

O menino que roubava

Por Aline Diedrich

Sentado em cima do muro com os tênis sujos e de cadarços desamarrados, vestia uma velha calça jeans. Óculos escuros na mão. Paisagem suburbana. Pôr do sol e barulhos cúmplices de suas histórias que iniciavam somente depois que o céu escurecesse.

Histórias mal contadas de réu confesso, porque havia nascido pra aquilo. Sem máscara ou qualquer truque barato. Sem atraso ou remorso. Dom que não se continha, que dava prazer de fazer e olhar provocador de quem raramente sonhava dormindo por passar o tempo na expectativa de chegar a noite.

Quem sabia se dava ao direito de julgar como certo ou errado, loucura ou só coisa da imaginação. Mas o fato é que as luzes dos postes se acendiam, os moleques corriam pela calçada e não se viam mais pipas, enquanto gente subia e descia a ladeira e lá ele estava com pinta de herói.

Ou anti-herói. Livre de superego, sem lei e sem medo de quem atravessasse seu caminho. Caminho de todas as portas abertas, porque habitava mesmo era no universo sem pedido de hospedagem e nem grana pra pagar qualquer lugar. Não alugava. Nem se alugava. Não vendia, apenas distribuía aquilo que roubava de quem tinha demais.

Demais feito aquela menina que queria um mundo só pra si, sentada no degrau da porta do outro lado da rua com braços apoiados nos joelhos, e de olhos esverdeados que não desviavam a atenção do alto. Enfim lua azul. E com isso um sorriso bonito, um egoísmo de querer o tudo e a vontade imensa de fazer com que aquele momento durasse pela eternidade.

E pareceu uma eternidade, porque ele não se moveu, instigado e quase dopado como se tivesse caído numa armadilha e ficado preso num delírio. E foi assim que o próximo dia chegou e os raios intensos do sol atravessaram as nuvens brancas que formavam desenhos no céu.

E na outra noite também seria assim para o menino que roubava sonhos...

33 comentários:

  1. Poxa, achei muito legal a dinâmica da imagem com o texto.
    Bem legal.

    ResponderExcluir
  2. teus textos são sempre de alto nível, de todos os blogs do tipo, o teu é o que têm os melhores textos na minha opinião!

    ResponderExcluir
  3. gostei do textinho ,
    sempre interno meus pensamentos no papel *-*
    terapia literal .

    ResponderExcluir
  4. belas palavras...texto...muito bem escrito...

    ResponderExcluir
  5. Egoísmo de sofrer por si mesmo... e só,só...no fundo, queremos companhia

    ResponderExcluir
  6. também acho seu blog muito bom, em questão de textos, são ótimos de ler, e muito bem escrito.

    ResponderExcluir
  7. Texto encantador. Na verdade seus textos são assim, fazia um bom tempo que eu não à visitava. Continua com textos maravilhosos.

    ResponderExcluir
  8. Curti o texto. E as imagens tão show tbm ^^

    ResponderExcluir
  9. Bem interessante o texto!

    ***
    Patrícia Roberta

    ResponderExcluir
  10. Faz tempo que eu não venho aqui e quando volto, um conto bonito!
    Bjs moça!

    ResponderExcluir
  11. Conversava muito com a lua na infância.

    Quantas luas, poucas azuis...

    ResponderExcluir
  12. Nossa amei essa história imaginei cada cena. Caras assim são tão atraentes e misteriosos parece que tem um imã em mim que me leva diretamente para eles.
    Volte sempre no meu cantinho.
    Beijos

    ResponderExcluir
  13. nossa eu amei esse texto , sabe quando realmente se identifica com a escrita de uma pessoa e aconteçeu isso meus parabens, seguindo o blog e claro rs :]

    curta a fan page beeeijos

    ResponderExcluir
  14. Belo conto recheado de poesia, gostei. Bjo

    ResponderExcluir
  15. Como não se inspirar com seus belíssimos textos?

    Excelente post!

    ResponderExcluir
  16. Oi Aline
    cada vez seus textos e as imagens mexem com a imaginação, eu já disse isso em outras postagens, parece que e eu vejo essa menina e você me conta o que ela está passando....

    obrigada pela visita e sim com certeza outros gostos virá em outras manhãs rs...
    bjoss

    ResponderExcluir
  17. Aline :)
    Como vai?
    Belo conto.
    O menino que roubava sonhos..esse merece uma parte 2 ein? >.<

    Beijos e cuide-se

    ResponderExcluir
  18. O título me lembrou o livro de Markus Zusak - A menina que roubava livros. E o conto em si, também me lembrou um pouco.

    Gosto de anti-heróis. De todas essas coisas mais rebeldes, mais instigantes.

    Bom conto.

    Um beijo, Misunderstood.

    ResponderExcluir
  19. Nossa que belo conto.
    Parabéns seu blog é muito bom, já estou te seguindo.

    se quiser conhecer o meu ...
    http://www.priscilafantini.blogspot.com.br/

    beijos e até mais.

    ResponderExcluir
  20. Lindas as imagens que tu escolheu, Aline! E lindo texto, é claro. =)

    :*

    http://hey-london.net

    ResponderExcluir
  21. Lindo texto, amei demais.
    Voltarei sempre aqui.
    como [Mylla] falou lindas imagens!

    ResponderExcluir
  22. Bonito artigo. Historia, poesia e narrativa continua ate quando finda o texto. Muito Aline.

    ResponderExcluir
  23. Gostei MUITO do teu estilo de escrita. Faz um tempo que não encontro um texto tão bom na internet. Parabéns MESMO! Irás muito longe deste jeito...

    ResponderExcluir
  24. Gostei do texto,um dos fatores que chamou muita atenção também foi as fotos!

    ResponderExcluir
  25. Seus textos estão cada vez melhores, parabéns!!

    ResponderExcluir
  26. Nossa, que texto legal. Muito bem escrito e estruturado. Adorei o blog!
    doceilusao.com

    ResponderExcluir
  27. Gostei desse Robin Hood de sonhos, hein. O mundo tava mesmo precisando de um exemplar desses. Tanta gente aí com sonho bonito e não sabendo aproveitar! :) Beeeeeeijos!

    ResponderExcluir
  28. O seu jeito de escrever é único, Aline. Eu visito muitos blogs e nenhum é como o seu. Incrível como você consegue passar tanta emoção nas suas palavras e essa coisa com as imagens também. Eu sinto uma calma grande lendo seus textos, simplesmente amo a sensação de ficar aqui. Amei :)

    Beijos,
    Monique <3
    http://www.secretsofalittlegirl.com/

    ResponderExcluir
  29. Show de bola!!!

    Parabéns!!

    http://pensadorlivre-bill.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir