31/05/2011

Tributo ao amor

Por Aline Diedrich

Nenhuma cobaia havia ali. Não era um desses laboratórios comuns. Discos espalhados por toda a parte, uma melodia bastante conhecida, TV, rádios a pilha, pilhas e pilhas de jornais e revistas. Revia o material todo o santo dia. Até porque não se formou do dia para a noite, não era um cientista qualquer, foi a vida quem lhe ensinou.

Quase sempre ia ao cinema. Às vezes na matinê, às vezes na sessão da noite. Gostava também de filmes só para adultos. Comia muita... Muita pipoca... Até improvisava beijinhos durante comédias românticas, ou tentava manter-se o herói quando os personagens ficavam em silêncio para, logo, ouvir um estrondo do suspense que faz todo mundo pular da poltrona. No fundo admitia: também queria esconder o rosto com a gola da camisa.

No inverno gostava de ir até a cafeteria, a pé, com as mãos no bolso do sobretudo preto e as vezes ajeitava o cabelo. Sentava lá. Pedia capuccino e uma torrada. Sempre atento à sua volta: sapatos vermelhos, calças boca de sino, saias e leggings e, até mesmo, terno xadrez. E tinha também a impressão de ser observado constantemente com olhos que mais pareciam objetivas. Não que sua vida fosse um filme.

Quando criança achava que era estrábico. Depois daltônico. Temia qualquer coisa que o fizesse ver o mundo de jeito um tanto diferente. Descobriu que tinha hipermetropia avançada. Enxergava melhor de longe, embora sempre tentasse uma aproximação maior. Para tanto arrumou lentes pretas e azuis, dependia da estação e da ocasião, no entanto, ainda guardava os óculos fundos de garrafa: um trauma de infância.

Lia. Lia até demais. Só para tentar entender essa forma romanceada de se viver e deu-se conta que parecia com um daqueles personagens... Não alquimistas, astronautas ou alienígenas. Ele era um que fingia ser normal. Trabalhava, ganhava seu sustento, pagava tudo em dia, tinha cartão de crédito, meias brancas, roupas passadas, gel para cabelo e, quem sabe, um dia sofresse com calvície. E quando não estava perante os outros – amigos e paixões – era um errante que vagava pelas ruas e trancava-se em seu laboratório, com tantas teorias e nenhuma fórmula para preencher o vazio que tinha transformado o amor em um desses produtos da indústria cultural...

Mas jamais desistiria de ver os sapos transformarem princesas!

35 comentários:

  1. Vc escreve mto bem ;D
    curti o texto!
    .
    http://www.marilovers.co.cc/

    ResponderExcluir
  2. Muito bem mesmo. Texto impressionante.

    Pequeno, simples, em terceira pessoa..Porém, muito bem arrumadinho.

    Parabéns.

    Beijos, Misunderstood.

    ResponderExcluir
  3. Que fofo Aline.
    Suas histórias sempre bem profundas
    Gostei muito
    Beijos sua escritora :)

    ResponderExcluir
  4. gostei do texto, e das ultimas frases, resume muito bem as questoees de fe e esperança da vida

    ResponderExcluir
  5. Primeiro, obrigado pela visita. Não sei o que está havendo com a fonte do meu blog, pq eu acesso (mesmo usando outro perfil, que não é vinculado a ele) e pra mim abre normalmente.

    Aproveitando, quero dizer que seu texto é delicioso de se ler... Suave, com a dose certa de sensibilidade.
    Abração!

    http://estacaoprimeiradosamba.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Delícia de texto...
    Aquele sabor de esperança encanta!

    ;D

    Sucesso!

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o texto, envolvendo do inicio ao fim, primeira vez que visito seu blog, e gostei muito, embora esteja sem tempo para ler tudo, provas da faculdade e tudo mais, irei voltar mais tarde...xD

    Estou te seguindo!

    www.mascarasdaverdade.blogspot.com

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Adorei. Me identifiquei :D

    http://venenodefine.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. vc é uma otima escritora e bonitona :P
    http://www.raphia.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Aline Diedrich! Meus parabéns pelo texto e pelo blog guria. Escreves muito bem e de uma forma que prende a gente no texto. É a primeira de muitas vezes que passo aqui, siga firme.

    Sucesso e fique com Deus!

    ResponderExcluir
  11. Olá, parabéns pelo blog, to seguindo.

    Quando puder segue lá também:

    http://www.interessediario.blogspot.com

    Valeu!! Ah, tenho uma dica, vale apena conferir:

    Ganhe dinheiro fazendo buscas no Wibi
    *Para começar você ganha R$ 10,00 para utilizar o buscador.
    *Cada busca no WiBi é contabilizada e se você atingir o mínimo de R$ 100,00, já pode receber o seu pagamento.
    *Quanto mais pessoas indicar, mais você ganha
    *Cada pesquisa válida vale R$ 0,02 (dois centavos) e você acumula quando seu indicado ou você buscar
    *É real viu, basta se cadastrar: http://www.wibi.com.br/cadastro/?amigo=93296
    Valeu, aguardo você lá!!

    ResponderExcluir
  12. belo texto, parabens

    se possível, visite meu blog

    www.semente-terra.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. Nossa, escreve muito bem .. adorei o texto, tá tudo muito lindo aqui *-* Estamos seguindo, dá uma passadinha no nosso! Bjs.

    http://asgarotasdoseculo21.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. A esperança é a última que morre; principalmente quando se trata de amor haha

    Texto maravilhoso!

    ResponderExcluir
  15. É não há escapismo que baste diante da solidão..

    ResponderExcluir
  16. Nossa flor que lindo texto...Poxa você escreve muito bem viu, sabe quando você ler algo, e parece que quer entrar na história, nas letras, quer escrever junto? Foi assim que me senti aqui...rs o SENHOR TE ABENÇOE E CULTIVE ESSE DOM DAS PALAVRAS! UM BJ!

    ResponderExcluir
  17. Muito Show suas postagens reflexivas...

    Tem um voto meu no +1...

    Visita de volta: http://arrancandodotube.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Muito bom os textos do seu blog Gostei pakas

    ResponderExcluir
  19. Oi, estou seguindo seu blog, aguardo vc no meu www.donaanamagos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Como sempre, amei seu texto, você escreve de um jeito suave e na medida certa. Isso sem falar na mensagem central, que pra mim é não perder a esperança em nossos corações e nem a capacidade de sonhar.

    ResponderExcluir
  21. muito legal quando se consegue em terceira pessoa generalizar algo um pouco de cada ser humano...
    =)
    parabens pelo blog!
    irei te seguir xD se quizer fazer o memso, será um prazer

    ResponderExcluir
  22. por mais que exista milhares de blogs de poesia e dificil achar um bom, sorte minha acabo de achar...
    parabéns você escreve muito bem.

    ResponderExcluir
  23. Adorei seu texto, muito envolvente, a descrição do personagem é perfeita, bem dos tempos modernos.

    abraço,
    www.todososouvidos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  24. Poxa, que Blog incrível, muito bom seus textos, uma perfeição mesmo, parabens de verdade

    Estou a seguir-te
    quando puder passa lá no meu tbm ;P

    http://essenciaego.blogspot.com/

    Abrção

    ResponderExcluir
  25. Que lindo o seu cantinhoo..
    adorei aqui!!

    estou seguindo..
    retribui??

    beijos
    http://pathyoliver.blogspot.com
    http://momentosdapathy.blogspot.com

    ResponderExcluir
  26. q lindo

    thanks pela visita, arrazou no texto munetty

    http://drehluvz.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  27. Muiiiito bom parabéns texto maravilhoso

    ResponderExcluir
  28. Valeu pelo comentario la no foguetorio!

    Putz o seu blog é fera hein,todo certinho visualmente!Bem legal!

    Com relaçao aos posts,tambem são bem interessantes e inteligentes!Parabens!Vou te seguir!

    ResponderExcluir
  29. Sei que já comentei por aqui, mas, este texto é muito lindo e gostoso de se ler!
    Não resisti!

    ;D

    ResponderExcluir
  30. vc escreve bem !! =) estou t seguindo se quiser segui aii

    http://zumbibanguelo.blogspot.com/
    http://zumbibanguelo.blogspot.com/
    http://zumbibanguelo.blogspot.com/

    divirta se !!!!

    ResponderExcluir
  31. Você escreve muito bem, gostei!
    http://www.lollyoliver.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  32. Olá Aline. Absolutamente delicioso o seu texto. Patético quanto baste, mas absolutamente delicioso. Parabéns.

    ResponderExcluir